Se alguém quiser adquirir o livro , basta depositar R$ 20,00  (despesas de envio incluídas) no Banco Santander, agência 1520, c/c 01003885-7, enviar o número do comprovante de depósito para mim neste blog ou para o e-mail: victorcolonna@gmail.com  e o livro será entregue em qualquer lugar do Brasil em poucos dias. O livro encontra-se também nos seguintes locais:

Sebo Baratos da Ribeiro – Rua Barata Ribeiro 354 lj D, Copacabana
Livraria diVersos – Av. Érico Veríssimo 843 – A – Barra da Tijuca
Estação das Letras – R. Marquês de Abrantes 177 lj 107 – Flamengo
Empório das Letras – R. do Catete 311 Sobreloja – Largo do Machado
Livraria da Vinci – Av. Rio Branco 185 lj 2 – Centro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


CURTO-
CIRCUITO

De repente eu paro e olho: é ele!
Desengato marcha-a-ré crescente
Meu rosto fica roxo, vermel
Desamarra-se o elo da corrente. 

Curto-circuito, incêndio, tragédia!
Meu cabelo arrepiado espeta
Meu pulso desencapado choca
Meu corpo endiabrado, capeta.

E meu peito pega fogo: é vida
Um calor que se desprende e solta
Amor é caminho longo: é ida
É só ida. Não tem volta 

 

POST SCRIPTUM

 

        Deixo para o mundo minha gastrite
        M
inha enxaqueca e um pouco de azia
        Minhas madrugadas sem limite
        E a angústia sob o sol do meio-dia.

        Deixo também, como herança, a preguiça
        A luxúria, o orgulho e a ironia
        Uma dose de veneno e cobiça
        E a descrença acrescentada à apatia.

        Podem levar meus amores relapsos
        Minha loucura crônica, os colapsos
        E um eventual resto de alegria

        Mas fica comigo aqui, resguardado
        Aquele que será o meu legado
        Minha alma seca e minha poesia.


SUJEITO OCULTO

 

O problema são as conjunções desconjuntadas
As interjeições rejeitadas
Os adjetivos desajeitados
Os substantivos sem substância
As relações de deselegância entre as palavras.

É preciso superar o superlativo:
O absoluto sintético
E o analítico.
Achar o verso
Entre o verbo epilético
E o pronome sifilítico.

Falta definir o artigo inoxidável
O numeral incontável, impagável

Resta procurar o objeto direto
Situar o particípio passado
E o pretérito mais-que-perfeito

Desvendar a rima
Desnudar a palavra
Encontrar o predicado
E revelar o sujeito.

 

BOCA DO ESTÔMAGO

Minha língua afiada
Cortou o céu da boca
Passei a cuspir marimbondos.

Era tanto veneno
Que toda ferida era casca
Todo ruído era estrondo.

Um dia, desatento
Passei ungüento na boca
E amaciei o céu.

Pus-me a cuspir marimbondos
                                                   
e abelhas
Sangue adoçado
Veneno e mel.

 

 

 

 


10 Responses to “Meu Livro – Cabeça, Tronco e Versos”


  1. 1 sandra cirino
    abril 7, 2009 às 12:39 am

    victor meu amor ,

    vc é um dos gênios dessa Cidade Maravilhosa !
    Grande meu amigo meu querido meu amor !
    Vc é bom no que faz e faz bem feito !
    Lindos poemas !
    Vc é um grande gênio da nossa literatura !
    Avante menino – moço- rapaz , deliciosa a sua
    forma de expressar esse mundo lindo que só
    vc viveu e sabe passar pro papel !
    Eu já te conheço há dez mil anos atrás !

    Estamos aqui vivinhos !
    Te amo
    como hoje, como ontem , como sempre

    Sandra Cirino
    sua eterna

  2. 2 Mauro Rocha
    abril 9, 2009 às 5:47 pm

    Víctor,
    Meu irmão que eu escolhi, fico feliz em ver seu sucesso. Quero este livro e o outro também. Adoro suas poesias ácidas.
    Abraço:
    Mauro

  3. abril 13, 2009 às 2:28 pm

    “Eu me perco
    E o poema me acha”
    Victor, a síntese é isso!
    Nos perdemos e o poema nos acha…
    Criar a tese e a antítese; o desequilíbrio forma um novo e quilíbrio, e assim caminhamos no verbo, na verve, na palavra.
    Agora blogado… O labirinto se desdobra em windows… E nem mesmo Alice poderia caminhar em tantas dimensões literatas.
    BEM VINDO!!!
    Hoje, dia 13 de abril, é dia da Ponte de Versos lá na DACONDE do Leblon.
    Apareça.
    Saudações poéticas
    Cristina Terra

  4. 4 Virginia
    abril 30, 2009 às 12:37 am

    Victor, meu poeta visceral. Adorei!
    Beijos,
    Virginia

  5. 5 Luiz Otávio Oliani
    abril 30, 2009 às 6:28 pm

    Victor

    O que você escreve é poesia e da melhor qualidade! Luiz Otávio Oliani.

  6. maio 30, 2009 às 9:27 pm

    Olá, estou vindo do blog da Ana Tapadas. Gostei dos seus poemas, principalmente dos 2 primeiros, e estou à espera o livro. Parabéns!

  7. março 16, 2010 às 3:54 am

    post scriptum é o meu preferido.
    genial cara. genial!

  8. junho 27, 2010 às 1:36 am

    Olá, Victor! Gostei de seus versos, adorei suas crônicas, li a primeira frase e segui sem parar. Parabéns! Ricardo Loureiro.

  9. 9 Arturania Diniz
    março 10, 2011 às 2:43 am

    Tudo isso é um encanto!!

    Pedirei o livro.

    Um abraço,

    Arturania Diniz

  10. 10 Fabiola
    dezembro 20, 2011 às 5:44 pm

    Estou encantada, mas isso nao me sorpreende, pois você sempre foi criativo, cheio de emocoes e paixoes! Toda essa criatividade tem que sair e tomar forma! Parabéns, meu amor. Continue, continue, continue! Beijos mil, Fabiola


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: