23
set
09

DIFICULDADES DA VIDA MODERNA

Muito se fala das facilidades de grandes cidades: shoppings centers onde se vende de tudo (pressupostamente até a felicidade), tecnologia que permite  que nos conectemos com o mundo inteiro(eu quero ter um milhao de amigos, já dizia Roberto Carlos), acesso à informação instantânea (como uma bola de cristal que nos permitisse antever o futuro).

Mas quando se sai da cidade grande é que se vê que a estória nao é bem assim. Estou em Mykonos ha 3 dias, sem celular (se bem que o meu,em geral, nao pega nem no meu apartamento) e sem acesso à Internet, desconectado, desinformado, fora do tempo e do espaço.

Minha alegria hoje é poder olhar as praias azuis, ouvir o som do mar, olhar o céu dourado, serpentear por ruas estreitas e longas, sem trânsito, sem arranha-céus, onde cada som é sentido e faz sentido, pois é som, não barulho. E nao me cansa ter que subir escadas, esperar meia hora pelo ônibus que vai me levar à cidade para que eu faça NADA, sem culpa, sem olhares feios e recriminações veladas. Apenas ouvindo os segredos da natureza .

Anúncios

4 Responses to “DIFICULDADES DA VIDA MODERNA”


  1. 1 Verônica Lopes
    setembro 24, 2009 às 3:20 am

    Oi, Victor!

    Às vezes quero consumir minha vida em segundos, como se tivesse que compensar todos os dias perdidos. Mas, não posso. Então me contento em digerir cada momento de forma que ele seja eterno.
    Aprendi isto com um determinado instrumento musical – o piano. Ele me ensinou a apreender a partitura musical em poucos minutos. Hoje, saboreio cada pedaço de vida como se fosse cada tecla. Toco as pessoas com meus dedos finos para construir uma nova música em cada lugar por onde passo.

    Tenha um grande dia hoje!!!!
    Verônica.

  2. setembro 27, 2009 às 11:41 pm

    Ué, como você escreveu postou este texto, sem acesso à internet?
    Mas o texto é bonito. E verdadeiro.

  3. 3 adrianne Ogêda
    setembro 28, 2009 às 12:39 am

    Acho que uma das coisas que vamos perdendo na aceleração dos dias atuais é a capacidade de contemplar e saborear a experiência de, simplesmente, viver. Estamos sempre nos cobrando “grandes feitos”, intensos sentimentos, atividade constante. Escalada incessante para o amanhã. O hoje se perdendo em meio a esse movimento inquieto. Bom te ver assim, saboreando o prazer de sentir no pé as pedrinhas do chão.

  4. 4 Elianemelgaço Monteiro de Castro
    novembro 18, 2009 às 3:19 am

    quando leio um texto seu, compreendo o que vc. diz quando sofre com a escrita devido a responsabilidade ao mexer com o outro.É coisa de poeta mesmo, esta sensação. Linda por sinal. Tem muito de respeito nisso e dá para sentir. quando li seu passeio por Mikonos, fiquei com as juntas dos dedos meia durinhas, porque me remeti até lá e lembrei quandolá estive, e aquela sensação ao andar nas ruazinhas estreitas me possuiu. Lembrei de um polvito na grelha que comi em Mikonos, e o cheiro do bichinho sendo grelhado veio para dentro de mim, e a música que toca em todas as loginhas o tempo todo e aquelas escaidnhas e o colorido no meio do branco e o azul do mar e do céu…seu texto Victor, me fez parar e reviver. delícia de texto, delícia de escritas,delícia de amigo poeta. Um beijo na sua alma.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: