15
maio
09

Poema

 CARTA A UM POETA   (Victor Colonna)

Posso recusar a palavra
Mas não impedir o poema.

Às vezes nem recuso
E vem ao mundo um poema sujo
Contaminado em suas estruturas
Poema para ser esquecido
                                 no fundo de alguma gaveta
Como louco trancado num porão.

Posso recusar a palavra
Mas o poema tem verdade intrínseca,
Vida independente.

O poema não precisa ser bom
O poema não precisa de público
O poema não precisa do poeta
Não precisa nem ser poema para ser poema.

Às vezes, antes da tempestade
Desce um relâmpago
E a verdade se faz tão rápida
Que não é possível capturá-la.
Esse não-poema é poema também
Como é filho aquele que foi abortado.

Luto com palavras
Piso num terreno minado
Não existem mapas
O poema é quem escolhe o poeta.

Anúncios

0 Responses to “Poema”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: